Fundamentos do Método Montessori

De seu trabalho com crianças com necessidades especiais, Maria Montessori definiu que o problema do déficit de aprendizagem era muito menos um problema médico, do que um problema pedagógico. Se a educação se apresenta como meio que permite a passagem da anormalidade à normalidade, não poderá o progresso pedagógico, vir a ser também considerado responsável pelo outro desvio, qual seja ele o da anormalidade à normalidade?

 Talita de Almeida 

 Presidente da ABEM 

A Partir dessa hipótese, cremos ser necessário definir educação, a qual se apresenta sendo de fundamental importância para o equilíbrio do indivíduo. A educação deve ser simplesmente uma ajuda à vida, ou seja, uma ajuda colocada a serviço da criança, tendo em vista seu desenvolvimento psicológico, a construção da sua personalidade e o desenvolvimento completo de suas potencialidades. É, portanto, uma ajuda à construção de um homem livre e normalizado. Indivíduo com personalidade própria e um ser social, agente ativo de uma humanidade que evolui e progride.

Como poderá a educação contribuir para essa construção, sendo realmente ajuda e não obstáculo?

O princípio de toda educação deve ser a observação e o conhecimento do indivíduo, um conhecimento científico de seu desenvolvimento integral, conhecimento profundo de características próprias de cada etapa do crescimento natural, psíquico e físico.

Com efeito, se deixarmos a natureza desenvolver o organismo físico, procurando os nutrientes necessários, sem colocar obstáculos às conquistas e ao crescimento, vamos constatar a construção perfeita de um corpo humano. Então, tendo a mesma convicção sobre a construção psíquica,  Maria Montessori fundamentou sua obra educativa baseada no respeito por esse desenvolvimento natural. Com efeito, ela acreditava que respeitando o trabalho da natureza intrínseca do homem, sem atrapalhá-lo ou desviá-lo, ter-se-ia aberto uma via de condução objetiva, dinâmica e profunda ao desenvolvimento da normalidade.

A partir desse conhecimento cientifico, Maria Montessori pôde definir a evolução do ser, que recém nascido se torna homem, com um programa de desenvolvimento natural, que se estende por quatro fases, que ela disseminou como “os quatro planos de formação” ou “os quatro planos de desenvolvimento”.

Do ponto de vista educativo, a lógica montessoriana é adaptar a educação às exigências e necessidades do crescimento, permitindo estabelecer a seguinte equação: 4pd = 4pe (quatro planos de desenvolvimento = quatro planos de educação). De fato, se o desenvolvimento do indivíduo segue uma lei natural que Maria Montessori considera processando em quatro períodos ou quatro planos, é evidente que a educação montessoriana deverá ser aplicada sobre esses quatro planos.

1º Plano: A mente absorvente (dos 0 aos 6 anos)
2º Plano: Infância (6 -12 anos)

3º Plano: Adolescência (12 -18 anos)
4º Plano: Maturidade (de 18 a 24 anos)

A Construção Física e Psíquica do Indivíduo